domingo, 27 de setembro de 2009

Não é roupa usada, livro lido, móvel velho

Novartis Doação de Órgãos

É muito mais fácil de doar - você realmente não vai precisar!

Imagine o que é precisar da doação de um órgão. Fígado, rim, coração, córnea...

O seu, por alguma razão, não funciona mais (ou nunca funcionou). Sua vida é terrivelmente prejudicada e sofrida por conta disso. Para que sua vida seja muito melhor, para que possa continuar, você precisa receber um órgão doado por alguém.

Mas você não pode, é claro, esperar que alguém sacrifique um pedaço do próprio corpo por sua causa. Que alguém sofra para te salvar.

Tem gente que faz isso - que se doa completamente, por escolha profissional ou por ato voluntário. Mas não se pode exigir isso de ninguém.

Ainda bem que não precisa...

Uma pessoa pode doar o órgão quando definitivamente não ele não lhe serve para mais nada..

Uma roupa velha, um móvel usado, um disco ou livro deixados de lado podem até voltar a ser úteis, atraentes, interessantes depois de algum tempo.

Mas um órgão só interessa a uma pessoa viva. Depois que ela não vive mais, o órgão não serve para nada. Vai simplesmente apodrecer e ser devorado por microorganismos. Vai se decompor como uma fruta passada, uma árvore caída, uma flor murcha. É da natureza (ainda bem – já imaginou se nada se decompusesse? Se tudo fosse como plástico e isopor e ficasse centenas de anos sobrando por aí?)

Um dia, a gente não vai mais viver. Pode ser hoje, amanhã ou daqui a trinta anos. Seja quando for – no momento em que minha vida, bela vida terminar, eu não preciso mais de córneas, rins, fígado, coração, pele, ossos.

E eu não quero jogá-los fora quando ainda podem ser úteis para alguém...

Não quero mandar tacar fogo no meu corpo sem doar tudo o que puder ser doado. Não quero perder a chance de ajudar alguém a enxergar, caminhar, amar, ser feliz.

Não cheguei a mandar escrever no meu RG “Sou doador de órgãos”, mas tenho adesivos e cartões para tudo quanto é lado. “Sou doador! Sou doador!”. Minha família já sabe, e agora vocês todos também.

Pensei até em tatuar um símbolo da reciclagem no braço.

*****

Existem doações que a gente pode fazer em vida, sem tirar pedaço. Uma delas é a de medula óssea. Eu me cadastrei como doadora e torço para um dia ter a oportunidade de fazer minha doação (que nada mais é do que uma punção – minha filha, quando teve leucemia, fez várias, e nem anestesia tomou, apenas um leve sonífero).

Minha filha, felizmente, não precisou de doação de medula – a quimioterapia fez efeito. Um amigo meu precisou e não conseguiu. Com uma voz linda, uma simpatia incrível, disse adeus a esta vida no dia em que fazia 40 anos.

Se eu pudesse, teria ofertado mais vida a ele (mas não éramos compatíveis).

Se você puder, não vai fazer o mesmo?

****
Dia 27 de setembro é o Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos. Estenda a mão para essa causa.

2 comentários:

  1. Muito bom isso! Mesmo eu atrasado com essa informação deste dia importante, que não foi só ontem, mas todos de nossas vidas, eu acho de extrema importância a ideia de doar, seja livros, brinquedos, agasalhos e principalmente orgãos.

    Eu penso que as pessoas deixam suas marcas, e nada melhor de uma forma que outro alguém possa ser salvo. Não quero também ter meu corpo se decompondo ou queimado e muitas pessoas ainda vivas precisando ainda continuar seu caminho.

    Abraços e muito bom post e blog!

    Roberto B.

    ResponderExcluir

Talvez eu responda seu comentário com outro comentário... Melhor passar por aqui de vez em quando para ver se tem novidades para você.