segunda-feira, 14 de outubro de 2013

"E Marina, Soninha?"

"Eu votei em você pra presidente!" (Juro que já ouvi isso...)

"Sou seu eleitor, sempre votei no Partido Verde" (...mais de uma vez)

***

Temos nossas semelhanças, claro. Somos "verdes", ambientalistas, ecochatos (eu sou sensata, mas chata)

Fomos PT. Em proporções mastodonticamente distintas, éramos chatos dentro do PT. Vê lá se a Dilma, a poderosa mãe do PAC, curtia Marina no Ministério do Meio Ambiente?

Acionei a Comissão de Ética do PT quando o Zeca do PT esculachou Marina por não autorizar mais devastação no Pantanal ("Ela não tem nada que se meter aqui", foram mais ou menos as palavras finas da autoridade)

Marina saiu do governo (Bravo!) e do PT. Queria ser candidata a presidente. Que audácia! Tarso Genro - poxa, meu companheiro de inconformismo dentro do PT, um dos principais signatários/autores da tese que admitia erros e propunha a "refundação" do partido. - cravou: "Está a serviço da direita reacionária".

Porque agora, graficamente, a divisão do mundo segundo o PT é assim:


PT, PMDB, PP, PTB,
PRB, PCdoB, PSD,
PSB, PSC

PPS
PSDB
DEM
PSOL
(é oposição mas tudo bem, é contra todo mundo e, na hora do par-ou-ímpar, ou anula ou vai com o PT)


___________________            ______________
     
Esquerda Revolucionária           Direita Reacionária        


Então eu e Marina e mais alguns aí, ao sairmos do PT (o que é ruim) e disputarmos eleições ou apoiei candidatos contra o PT (o que é abominável) nos tornamos neodireita.

***

Então além de confundirem uma ecochata com a outra, as pessoas identificavam semelhanças e muitos perguntaram: "Vai pra Rede?"

"Não! 1) Gosto do meu partido. 2) Temos afinidades e certamente seremos aliados em muitos cenários, mas também temos diferenças importantes" que não são, como pareceria à primeira vista, as relativas às partes "de comportamento", como aborto - eu respeito divergências verdadeiras(o que foi podre em Dilma foi ela stanilisticamente querer se apagar do fato em que aparecia defendendo a legalização...se AO MENOS dissesse, pressionada por aliados, dirigida por marqueteiros e ávida pelo eleitorado "conservador", "eu mudei de opinião", OK. Seria mentira, mas...impossível de comprovar. Mas a mentira descarada, 'nunca fui!", revela a extensão do "faço tudo para ser presidenta".

A minha grande divergência com a Marina é: ela não faz oposição ao PT. E eu ser de um partido da oposição. NÃO a oposição "contra tudo que for do governo", NÃO a oposição 'que se dane se é inviável, tarifa zero pra todo mundo". Oposição porque desaprova muito mais do que aprova no governo e que tem a garra, a ousadia, a teimosia de criticar, apontar os defeitos e as mentiras.

"Ah, mas Dilma tem 80% de aprovação!". OK, somos dos 20% que desaprovam. Que consideram medíocres, ineficientes, frágeis, falaciosos os resultados,das políticas sociais. Que não se conformam com as megaobras caríssimas, discutibilíssimas, mal-feitíssimas (transposição do S.Francisco, Belo Monte, TAV). Que reprovam a ênfase no consumo como forma de ascensão social (enquanto a Educação...). Que acha ridículo não termos estradas e portos decentes até hoje! (que dirá ferrovias, hidrovias...). Que lamenta as boas safras desperdiçadas, as culturas perdidas. A importação da gasolina e as dificuldades dos produtores de etanol. A disseminação do crack e o aumento da violência urbana e no campo. A falta de SANEAMENTO BÁSICO. A ineficiência do governo, da máquina. A carga tributária horrorosa, a burocracia e corrupção. As medidas demagógicas, as mentiras ("vamos investir bilhões em um programa com nome bonito e resolve um problema para sempre em dois anos"). A fixação em diminuir tudo o que vem antes, como se tivesse recebido o Brasil no estado em que se encontrava 100 anos atrás. "A maioria aprova". Ok, e 30 milhões telefonam para participar do Paredão do BBB. Eu - e uma porra de gente - não.

***

Se Marina tivesse vindo para o PPS, eu teria perdido casa, carro e a roupa do corpo - tudo que apostei em sua não-vinda.

Marina confronta menos o PT agora do que fazia qdo era do partido. Talvez porque não queira aparecer (inclusive para si mesma) ressentida. Porque não queira ferir o afeto e ao apreço que alguns petistas tem por ela. Porque não quer romper com Lula com quem tem laços tão fortes. E certamente porque preza e quer preservar a posição de equidistância, de "neutralidade". A 3ª via, como se fosse possível e preferível, traçar uma bissetriz, perfeitamente reta, que nunca se aproxima de um lado mais do que outro, estático, "só critico um lado se criticar o outro também", como se precisasse equilibrar uma equação colocando denominador idêntico dos dois lados. "Os terroristas derrubaram o WTC, mas poxa vida, os americanos também barbarizam". COMPREENDER dois ou mais lados é uma coisa. Justificar e compensar uma coisa com a outra, não.

Mas Marina não veio, e não fiquei surpresa por 0,001 seg.

***

Mas ela não foi para "lugar nenhum", ficar em estado político de suspensão como achei que faria. Assumiu uma posição sim. Entrou no partido do mais assumido candidato á presidência (Aécio precisa fazer um pouco o personagem "o partido é quem decide). A ponto de ter saído do governo e aí está algo que não posso deixar de admirar.

Imagino as vantagens fantásticas para ficar depois de ter ameaçado sair...mas largar Dilma e o PT, quem diria.

Uns o chamarão de "traidor' depois de tudo ($$$) que Lula fez por Pernambuco...outros, como os irmãos Gomes, de canalha, aproveitador, a serviço da "direita", sempre. De oportunista.

Se incomoda tanto assim a base do governo...Opa, #significa

***

Qualquer um que lute para ser presidente do Brasil e não for Lula será obcecado, oportunista, "atropelador", vaidoso etc.

Eduardo quer disputar a presidência? Tem todo o direito.

Tem credenciais? Bem, AO MENOS já foi chefe-de-executivo. Experiência que teria feito bem a Lula, Dilma e Haddad (no caso de Lula, especialmente, porque teríamos conhecido antes o resultado de uma vida inteira de discurso de oposição quando empossado e imbuído de da responsabilidade de governar )

Onde mais assinalei ponto positivo p/ o Campos?

- qdo, em plena campanha de 2010, disse em entrevista que a gritaria do PT contra as OS era ideologismo sem compromisso real com o interesse público, ou preocupação verdadeira com a qualidade do serviço público. Caramba, aleluia!

- Quando não aceitou o caudilhismo de Lula querendo impor um candidato abençoado por ele, à prefeitura de Recife - como fez em São Paulo, como fez com Roseana Sarney no Maranhão em 2010. Peitou e ganhou.

Então o rapaz, em sua ambição, tem ousadia e muitas (isso?) qualidades. Tá cheio de ambicioso que não tem (?? - e o PSB) e enfiaram a viola no saco e não disputaram a última eleição para presidente...)

Marina não apoiou ninguém no segundo turno em 2010, mas sinalizou 'inclinação" por Dilma (que teria melhores propostas na área de sustentabilidade). na Rio +20, discursou na Cúpula dos Povos dizendo que o papel da sociedade civil não era de confrontar o governo, mas sim 'oferecer apoio" para a agenda sustentável de modo a aumentar a força política etc.

Marina condenou toda a "velha ordem" e relutou em querer reunir seus apoiadores em um partido. A "Nova Política". Eu detesto o que é ruim, não o que é velho...e todo mundo se diz "novo", é um rótulo! Um slogan! A política tem de ser nobre, digna, honesta. Nem tudo precisa ser "novo", tinindo, zero-bala. Precisa ser verdadeiro, não "novidade".

Eu amo a política, odeio a política. Adoro estar na política, fazer política, viver em política - e isso se faz em um partido. Uma reunião de pessoas em uma instituição, caramba, com estatuto, regras, afinidades, ideais e divergências. Com defeitos, ÓBVIO, a começar pelo formato, pelas condições de existência e possibilidades de sobrevivência. "Sem partido"?! Qual alternativa então, plebiscitar tudo e que vença a maioria, pronto?

***

Marina não viria para o PPS a menos que quisesse muito muito muito ser candidata à presidência e não vislumbrasse nenhuma outra possibilidade.

Mas vivia com receios, restrições...Para ser "avulsa"..."independente"...como se isso fosse sinônimo de equilíbrio perfeito

***

SE Eduardo e Marina juntos representam a aglutinação de forças da oposição ao PT, que não querer que o PT tenha um quarto mandato sucessivo por todos os defeitos e deficiências graves das gestões do PT, ÓTIMO. De alguma forma, a alguma altura, estaremos juntos.

SE forem [mais uma] "terceira via" , nem lá nem cá, "eles são todos iguais", se não for um de nós "tanto faz"...aí não me anima.

"Ah, mas o PSDB tb é uma merda". Mas eu posso - ou não posso? - achar que o PT faz pior. Porque coisas que eu ABOMINAVA no governo Fernando Henrique, o PT fez PIOR. Outras, fez IGUAL, igualmente mal. E outras coisas que a gente enquadrava na categoria "Vade Retro", vejo hoje, não eram diabólicas. Algumas o LulaDilma adotou, mas finge que nunca condenou (concessão de aeroportos, por exemplo). Outras, age como se tivesse inventado, como a concessão de Bolsas para incrementar a renda familiar.

E já foram (quase) DOZE ANOS de governo do PT. E não, nós não encontramos o país pior do que os tucanos encontraram, mesmo com as cagadas da reeleição e segundo mandato do Fernando Henrique.

Que Eduardo e Marina engrossem o caldo de oposição ao atual governo, é minha aspiração. Que não constituam, como temem muitos com razões, um "Plano B" dos governistas. Ou uma oposição "light". Eduardo, honesto e preposto é uma coisa, "Bonzinho" é outra.

E o PPS? Ainda não sabemos. Este é um partido que quebra o pau. Que A CADA cenário toma uma decisão - disputada, sofrida. Que já foi FH e já foi Lula. Já foi Itamar. Já foi União Soviética e deixou de ser faz tempo.

Não é o PMDB, que tanto pode estar no governo ou do outro lado, "vai dependê". Vai dependê dos cargos, das promessas, da probabilidade de vitória.

Com Dilma não vamos. Com quem vamos - um de nós (candidatura própria) ou um dos outros candidatos da oposição é que não sabemos.

10 comentários:

  1. O que mais peca na sua análise é caricaturar o Psol como o time dos lunáticos, e por consequência se excluir dele. Nesse ponto a Marina e você se assemelham, ambas de fato à direita do PSOL, assim como todos os outros.
    A propósito: sabe o que havia de mais interessante na Rede? O esboço da candidatura única (porque representação é como a democracia: a merda que temos por falta de algo melhor). O Bloco do Eu Sozinho.
    Aliás, para ser sincero, bloco por bloco, me sinto muito mais representado pelo Black Bloc do que por qualquer partido.
    É uma dissintonia total com tudo.
    Aliás, tô pouco me fudendo se a mídia tá preocupada com direitos autorais.
    Eh mundinho...

    ResponderExcluir
  2. PPS partido que quebra o pau uma ova! Bando de liquidacionistas. Como esquecer o golpe que suas lideranças tentaram aplicar no PCB em 1992?

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Soninha, em tempo: leia-se candidatura "avulsa" e não "única".
    Allan: também me interessa a tal história. Conta aí.

    ResponderExcluir
  5. Ora, falta então conhecimento histórico sobre as origens do seu próprio partido. Em 1992, Roberto Freire, Sérgio Arouca e Roberto Requião manipularam um congresso com o objetivo de liquidar o Partido Comunista Brasileiro, tentando registrar o nome e a sigla no INPI para que ninguém mais tentasse reorganizá-lo. Além disso convocaram pessoas que não eram do partido para participar do congresso. Felizmente o tiro saiu pela culatra e hoje vemos o partidinho sujo que é o PPS, um verdadeiro esparro político do PSDB, neoliberal, fisiológico e infestado de figuras políticas execráveis. Certamente as lideranças do PPS que tentaram outrora liquidar o PCB não vão citar para a militância mais nova esta sujeira que suas lideranças tentaram fazer em 1992. Antro de golpistas! TODOS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então tá. Algumas são ofensas, nenhuma intenção de argumentar. Outras são acusações de práticas criminosas, e que adianta eu dizer "é mentira"? Pode ficar com a palavra final.

      Excluir
  6. Mais vamos ao que interessa, politica e politica, quem não conhece não entra,
    agora quero saber o que será do Brasil ou nós ferramos com o PT, ou nós Fud... com o PSDB?
    O duvida cruel!

    ResponderExcluir
  7. Soninha, sou de Recife e ouvi sua entrevista na JCNews. Acho que o caminho é por ai mesmo, torço que o PPS tome uma posição isolada mesmo e se decidirem por você como candidata tem o meu voto e o de minha esposa. Pelo menos assim, ao final dessas eleições vou me sentir menos culpado por entender que tentei mudar e dar a chance de quem prefere nortear suas ideologias com coerência. Adoraria poder ouvir você num debate com esses candidatos. Boa sorte!

    ResponderExcluir
  8. Pois, no principal ponto que concordo com o que citou (escreveu) Soninha, é o comportamento da Marina em não ter definição sobre oposição ao medíocre Partido dos Trabalhadores.

    ResponderExcluir

Talvez eu responda seu comentário com outro comentário... Melhor passar por aqui de vez em quando para ver se tem novidades para você.